Grupo de Pesquisa

Comunicações na América Latina: disputa política e regulação (1980-2011)

O grupo buscará examinar o panorama comunicacional da América Latina após o advento das tecnologias digitais, tendo como pontos de apoio a evolução dos negócios, as transformações políticas das últimas três décadas e o progresso tecnológico. Essas transformações tornaram superadas as legislações nacionais existentes na área e abriram inéditas frentes de disputa entre Estados, empresas e movimentos sociais em busca de novos marcos institucionais para as comunicações e as telecomunicações. O desafio colocado é: como criar regras nacionais democráticas que regulem a atuação de corporações com raio de ação supranacional?

Essa questão toca em pontos sensíveis e várias ordens de interesses para a elaboração de novas legislações para os meios de comunicação em alguns países do continente.

Isso acontece especialmente na Venezuela, na Argentina, no Equador e na Bolívia. No Brasil avançou-se na legislação referente à internet.

O pano de fundo é a mudança no panorama político continental a partir de 1998. Em alguns países há uma reação ao modelo de matiz liberal, adotado nos anos 1980-90, que se manifesta em vitórias eleitorais de governos pautados por discursos reformistas. Assim, as disputas em torno da comunicação envolvem diversas concepções políticas.

A área tem se mostrado particularmente sensível às demandas por novas regras de funcionamento. As empresas de mídia, por lidarem com difusão de idéias, valores e abordagens subjetivas, alegam que a pretensão dos que advogam a criação de novas normas é implantar a censura e o cerceamento à livre circulação de idéias. Os defensores das mudanças afirmam o contrário. Dizem que o setor é monopolizado por grupos econômicos e que um novo marco legal teria por base a defesa de um pluralismo de opiniões.

 

Membros docentes

Antonio Marcos Roseira

Claudio Penteado

Gilberto Maringoni

Renato Rovai

 

Paradoxos, Continuidades e Limitações da Segurança Internacional no Século XXI: as Mudanças Climáticas e a Problemática Nuclear entre a Securitização, a Politização e a Humanização

Através do Edital Ciências Humanas e Sociais CNPq/CAPES 22/2014, o professor Elias David Morales Martinez, do curso de RI, teve aprovado, com financiamento, seu projeto de pesquisa intitulado "Paradoxos, Continuidades e Limitações da Segurança Internacional no Século XXI: as Mudanças Climáticas e a Problemática Nuclear entre a Securitização, a Politização e a Humanização"

O projeto analisa a evolução do estudo e do tratamento dado às problemáticas das mudanças climáticas e da segurança nuclear nesses primeiros anos do século XXI. O debate se concentra a partir do embate das abordagens teóricas da Escola de Copenhague, da Escola de Aberystwyth, e da Escola de Paris que propendem, respectivamente, pela Securitização, Politização e Humanização das temáticas examinadas.

Este projeto contempla como colaboradores, professores e alunos do BRI, professores da Universidade Estadual da Paraíba, como também pesquisadores do Carnegie Endowment Institute for Peace e do Royal Institute of International Affairs.

 
Friday the 30th. .